18 de jul de 2015

TV: Ivan e Sérgio, será que agora vai?

O casal mais fofo de Babilônia

Entre as inserções da diversidade nas telenovelas brasileiras, talvez o par romântico ou a história de amor entre Ivan (Marcello Melo Jr.) e Sérgio (Cláudio Lins), na novela Babilônia (Globo) seja a mais atualizada e verídica representação gay, vendo este rótulo de forma geral ou, pelo menos, o que seria a cara da maioria, que podemos adiantar que é a mesma dos chamados normais.

13 de jul de 2015

Sexo Ao Vivo no palco

Gay Sex Show

Além dos diversos meios disponíveis para assistir gente fazendo sexo, seja através da pornografia profissional ou dos vídeos de sexo amador, alguns espetáculos levam o sexo explícito como entretenimento para o palco, atraindo o público disposto a ver mais do que uma simples performance erótica, mas o sexo real e ao vivo, bem diante dos olhos - assim como as fotos e vídeos que veremos aqui, com sexo feito fora das quatro paredes.

11 de jul de 2015

Música: Johnny Hooker

Performer da paixão

Comparações à parte, já que estão dizendo por aí até que ele é fruto do amor (e genialidade) entre Cazuza e Ney Matogrosso, John Donovan Maia, conhecido como Johnny Hooker (Recife, 1987), mostra em seus trabalhos, sempre à flor da pele, a própria paixão em suas performances, seja na música, no palco ou na frente de uma câmera. Cuidados com seus vídeos, figurinos e maquiagem, na criação de um personagem contestador, provocante e altamente sedutor, faz do cantor pernambucano estar entre as melhores expressões da atual música brasileira. Além de ser também ator, roteirista e diretor, Johnny confirma as associações atribuídas a sua figura e ao seu belo, premiado e apaixonado trabalho de compositor e cantor - performático, daqueles que misturam diversas linguagens artísticas em um mesmo espetáculo.

4 de jul de 2015

Expo-Cu e o segregado ânus nas artes

Arte de cu é rôla!

Sabemos que, de início, arte e moralismo são incompatíveis, ainda que costumamos limitar certas expressões artísticas como mera pornografia, entendendo esta última como algo menor ou vulgar de mais para se considerar uma Belas Artes, sendo uma desinformação artística ou um palavrão por si só.

Como no politicamente correto, vilão dos humoristas e da tal liberdade de expressão, para se fazer arte não há limites, até por conta da sua genérica definição, onde o fazer ou criar algo para os outros não traz, necessariamente, nenhuma funcionalidade além da própria manifestação de ordem estética ou comunicativa. Assim, ainda mais marginalizado do que a Arte Erótica, nas artes visuais, alguns temas são vistos com estranheza e até repulsa por boa parte das pessoas. Um deles é a simples nudez, tudo aquilo que não consideramos belo ou, mais especificamente, partes do corpo como os genitais, vísceras e aquilo que todo mundo tem, mas faz de conta que não existe: o ânus - talvez pela sua fisiologia, antes mesmo de qualquer outra função ali atribuída - uma segregação cultural das coisas que conceituamos como tabu.